21 dezembro 2009

Casamento meu

Há tempos a questão do casamento me perturba, e após ver (por meio de imagens) a alegria manifesta da minha amiga Rê Rolim Prudente e descobrir algumas peculiaridades especiais e únicas acerca de seu casamento esta ideia casamenteira me toma, de novo, por completo. Confesso que não sou uma pessoa “fácil”, e dificilmente encontrarei alguém insano o suficiente para querer dividir sua vida comigo, mas sigo em frente na expectativa de uma vida em comum ao lado de um homem que eu ame e que me ature.

Relembro antigos relacionamentos e tenho convicção que perdi duas excelentes oportunidades, mas eram as pessoas certas (mas nem tanto) no momento inadequado.

Aprendi com eles a ter crença no casamento, esta instituição que dizem falida e fora de moda; mas quero e vou casar – otimismo ajuda.

Estou disposto a tentar unir meu complexo universo ao modo de vida do outro, mesmo com os dissabores que estão por vir. Mas quem disse que seria fácil? É evidente que encontrar a alma gêmea, príncipe encantado, tampa da panela, metade da laranja, sapato gasto para meu pé cansado seria encantador, mas consciente da minha balzaquiana situação e da racionalidade minha sei que o ser amado é humano. Ele até pode ser lindo, fofo, inteligente e bem humorado, todavia terá defeitos, manias, medos, vontades, histórico pregresso de relacionamentos, e o pacote completo e complexo de qualquer pessoa comum – não idealizada. E que venha a realidade então.

Mas para embarcar na aventura chamada casamento é necessário (obsessão crucial e irreversível) um personalizado ritual, acho lindo o ritual casamento e já desenhei o meu na minha cabeça pensante e confusa. Não conto detalhes para não estragar a surpresa, quem sabe você está na minha lista de convidados? Já tenho uma pré-lista das pessoas que vão estar comigo nesse momento de realização, os padrinhos e madrinhas também já estão pré-definidos. Vai haver água, a água será testemunha da minha união, e meus pés estarão descalços; mais não divulgo!

E enquanto eu não esbarro no ser amado, aquele que estará de mãos dadas comigo no grande dia eu vou me ocupar em produzir o roteiro detalhado do casamento meu, para facilitar o cerimonial e, quem sabe, adequar às necessidades e vontades do outro. Discutiremos juntos qual será a música do nosso casamento, ansioso para saber quais serão as músicas, que segundo ele, combinam com o nosso amor. É, o gosto musical tem de ser minimamente compatível, senão não caso. Já pensou ele ser fã de dupla sertaneja, funk carioca ou banda Calypso e afins? Melhor nem pensar.

9 comentários:

  1. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk, na verdade Calypso tá fora de moda, hj tá em alta um tal de Djavu, imagina daki um tempo no dia q vc ksar??!!?? Desculpa te desanimar assim, mas eu te adoro e a realidade faz parte da minha vida... Mas falando sério, desenkna, a cerimônia matrimonial nada + é do q uma cerimônia... rssssss, então talvez vc possa deixa-la apenas no sonho, para assim mante-la como vc sempre imaginou, kda detalhe, TD PERFEITO!!! E sobre a pessoa certa, a pessoa amada, ñ crie uma imagem, viva o momento e se ele lhe permitir viver junto todos os dias VIVA, apenas VIVA, dure o qto durar... AMO-TE E MUITO!!!

    ResponderExcluir
  2. Vivian, amada minha.
    É mesmo, fiquei a imaginar o que será "sucesso" na ocasião do meu casamento, sempre tem coisa pior tocando no rádio rs rs rs rs...

    E estou sim, vivendo cada momento.

    ResponderExcluir
  3. Já pensou ele ser fã de dupla sertaneja, funk carioca ou banda Calypso e afins? .. Concordo contigo o gosto musical é essencial para eu ficar junto com a pessoa a vida toda ... naum sou do tipo flexivel e sentiria vontade de dividir a pessoa ao meio se eu chegasse em casa e ela estivesse escutando funk .. se bem que o amor e lindo e atura tudo ... Assim reza a lenda

    ResponderExcluir
  4. Zach, esse "atura tudo" é algo um tanto quanto relativo. Tudo, ams tuuuuuuudo mesmo acho que não atura não he he he he he...

    ResponderExcluir
  5. SlumdogAngel02/01/2010 00:05

    é...casamento...huumm...hehehehehe
    prefiro nao comentar....

    ResponderExcluir
  6. Imagino a cerimônia.

    Nada de damas de honra...será comissão de frente

    vestido nem pensar...usará uma fantasia toda de faisões albinos.

    violinos serão substituídos por uma bateria de escola de samba...muita cadência.

    Quanto ao funk , tenho certeza que concordaria ser a música da cerimônia, caso o noivo fosse o Kalango.

    Minha roupa de madrinha será um belíssimo costeiro de rabos de galo

    ResponderExcluir
  7. Kkkkkkkkkkkkkk...Fabi, imagina a cara do noivo no meio dessa cerimônia?
    Coitadinho dele rs...(mas seria phodástica)

    ResponderExcluir
  8. Você precisa conhecer um amigo meu. Sem mais. rs

    ResponderExcluir