01 janeiro 2010

Quem sou eu?

Aceitei o desafio. Responderei, de acordo com minhas preferências, a capciosa pergunta: Quem eu sou?

Sou noite, sua lascívia, medos, mistérios e possibilidades; sou as cores de Almodóvar, os dramas, o humor e a responsabilidade de assumir seu modo de ser, por mais ridículo que seja. Rosas vermelhas, cuecas brancas, olhos cor de tempestade e a transparência da água. Água que corre, transforma-se e invade seja com força, persistência, delicadeza ou mesmo por sina.

A mágica presença e sedução de Marilyn Monroe, afinal o pecado mora ao lado, e também sou o caminhar de Gisele nas passarelas junto às comédias de Veríssimo.

Não sou Natal, sou muitíssimo Carnaval e sua alegria, sons, formas, desejos, batucadas, o pierrô triste a colombina assanhada e o arlequim quase malandro. Sou o salto da sandália da cabrocha pisando forte a avenida.

Machadiano eu sou, e também d’Alencar: os olhos oblíquos, os lábios de mel, a inocência de Peri, o amor da cortesã, e também não transmitirei a nenhuma criatura o legado de minha miséria. Tenho em mim muitos, assim como Pessoa – o lusitano Fernando.

Música eu sou. Ana Carolina, Maria Rita, Marisa Monte e também Madonna; sou as canções que você fez para mim Renato. Sou Russo, legionário apaixonado, intenso e um pouco italiano; e tenho o nome mais bonito.

Leite quente com Nescau, pizza marguerita, ameixa, pão com muita margarina, batatas, macarrão; nenhum alho ou cebola, mas muito pirulito - sou esses sabores. Confortável e casual como chinelos “Havaianas”, sou rabiscos aleatórios, dedo na boca e pensamentos soltos, sofá da sala e almofadas, borboletas adejando e beija-flor sou eu também. Sou diálogo intelectual, discussões e conversa jogada fora, sou risadas bobas, maldades verbais e moedas do bolso ao chão, edredons até mesmo no Verão – que também sou. Fernanda, Lili, Simone (tia), Carine, Vivian, Tuca, Inajara, Cida, Fabrício, Angélica, Rodrigo, Fabiano, Flávia, Tonis, Diego e tantos outros amigos, sou vocês também.

Sou um pouco de tudo e um muito de nada, mas faço da minha vida um exercício de “ser” e não “parecer”.



10 comentários:

  1. SlumdogAngel02/01/2010 00:03

    2010 começou inspirado pra vc hein? Adoro todas as formas e possibilidades de Giuliano.
    Porém os olhos oblíquos sao meus...hehehehe
    Feliz 2010!!!

    ResponderExcluir
  2. Tantas referencias da literatual ao musical, passando pelo marketing ... Confirmando que somos o meio em que vivemos ... Abço e Feliz 2010 Serotonina para nós já que depois que a beleza da juventude se esvai só restam as memorias e os talentos atemporais.

    ResponderExcluir
  3. Angel, não tenha dúvidas que os oblíquos olhos me saltaram à mente de "vê-los" via seu MSN he he he he...

    ResponderExcluir
  4. Zach, e faltou tanta coisa que me faz ser eu, sim somos o meio em que vivemos.

    ResponderExcluir
  5. Ai ki lindo, AMEI... Vc é especial, vc é único, vc é T.D.O. (Tudo de ótimo), é muito bom saber q sou lembrada e principalmente q faço parte de vc... AMO-TE, ADMIRO-TE... Assumir a personalidade, com medos e defeitos é apenas para pessoas de atitude assim como vc...

    ResponderExcluir
  6. Vivian, com certeza eu sou melhor pessoa hoje pelo fato de ter um dia convivido com você.
    Estou aprendendo a ser especial, assim como você é para mim, de verdade.

    ResponderExcluir
  7. olá giu!
    obrigado pelos parabéns! Te parabenizo também, você escreve o que pensa - e escreve muito bem!

    ResponderExcluir
  8. Obrigada pela referência. Sou vc tb meu querido amigo. Nossa amizade e cumplicidade são fundamentais para minha vida e para o que sou
    Te amo - Bjaum
    Carine

    ResponderExcluir
  9. PQP melhor texto ever hauh Adoroooooo a poesia q vc injetou nessas digitadas... Ficou ótimo. Adorei as comparações...rs Abraços!

    ResponderExcluir
  10. Rodrigo, também acho este texto phodástico, de verdade rs...
    Mas para ser verdadeiro faltou inserir "banho quente e demorado" e "concurso de miss" #Culpa

    ResponderExcluir