12 novembro 2009

Meu mamilo esquerdo dói

Puxões de cabelo, mordidas, contato físico violento, arranhões e afins; sexo às vezes deixa marcas, desconforto muscular e um pouco de dor.

Tentando evitar a lascívia, não comentarei as aventuras de uma noite com uma pegada mais forte; todavia meu mamilo dói e me faz lembrar a última transa – só mais uma transa!

Mas as pequenas dores do “Day After” não são nada comparadas a uma dose de ressaca moral, odeio o tipo “arrependido”, mas também não concordo com a máxima de que só nos arrependemos daquilo que não fizemos.

A questão é simples, desde a pré-trepada eu já sabia que não tínhamos nada em comum e o resultado seria no máximo medíocre, na acepção de mediano mesmo.

Foi prazeroso e intenso, mas algum mecanismo pessoal me deixou com a sensação de ter feito algo errado, de inadequação. Muitas vezes me fiz a pergunta: Por que fui para a cama com este cara? Mas racionalizando eu pergunto: E por que não?

Vai entender esta minha cabecinha e seus tantos becos escuros, tortuosos e até mesmo íngremes.

Sinto-me como se tivesse traído alguém, mas quem?

Penso no amor, se ele está aos gritos batendo à porta e eu fingindo não o ouvir; negando e evitando o inevitável.

Medo de adentrar nas águas de um novo amor e, de novo, me afogar sem uma mão que me resgate ou mesmo um suicida para junto submergirmos nos sentimentos, tantos sentimentos, muitas vezes sem sentido.

Quero certezas, acertar o tempo do amor “sem me precipitar e nem perder a hora”, Ana Carolina ai ai ai...

Confusão absurda, mas concluo que sexo é sexo, amor é amor, e sexo é para todo mundo, já o amor, o amor é para poucos.

E para tentar colocar ordem nestas linhas, já que na minha vida pessoal não consigo, é inevitável eu afirmar que não apenas a superfície do meu peito dói, algo dentro sofre e incomoda. Há sim um vazio a ser preenchido.



5 comentários:

  1. Todo poético!
    O amor é para poucos, e para loucos! então, deixe esta loucura te consumir por inteiro, de corpo e alma... Se entregue... ou como prefere - SE JOGAAA...
    rs
    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Já me joguei, só falta ouvir o estrondo do meu corpo se dilacerando em choque com o chão.
    O amor não pode ser unilateral, eu até estou meio-amando, mas ele ainda não sabe. Acredito que nem vá saber he he he he he...

    ResponderExcluir
  3. SlumdogAngel29/11/2009 10:44

    O amor dói, meu caro amigo...
    o amor dói!!!!

    ResponderExcluir
  4. M. Angel

    Ele sempre dói, ás vezes deixa cicatrizes, porém não consigo fugir dele.

    ResponderExcluir
  5. Ah, esse vazio!!! Às vezes oportuno, às vezes sôfrego demais...
    Mas o amor não é para poucos, conforme o amigo disse acima, amor é para qualquer um, é tão banal que, por exemplo, pode começar no início de uma noite e perdurar até a dorzinha do mamilo desaparecer, mas ele tem razão quando disse que é para loucos, afinal, quem é normal?
    .
    .
    Ainda não consegui ler o seu blog até o início, nem sei que tamanho ele tem, mas vou lendo com calma, com o pouco tempo que me resta no final do dia... Mas já posso adiantar que li muitas coisas "estimulantes" por aqui ;)
    Volto já!

    ResponderExcluir